O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

NUTRACÊUTICOS

Sua Pesquisa

Nossos Serviços

Tradutor
 

 

Alho com Azeite de Oliva

Conheça as propriedades do alho roxo e do azeite extra virgem unidos num unico tratamento onde previne a arteriosclerose e seus riscos, melhora o funcionamento do estômago e do pâncreas, digere-se com maior facilidade do que qualquer outra gordura comestível, não tem colesterol e proporciona a mesma caloria dos outros óleos, acelera as funções metabólicas, produz efeito protetor e tônico da epiderme e estimula o crescimento e favorece a absorção de cálcio e a mineralização.

Azeite de Oliva

A sua Produção

O método tradicional de produção de Azeite de Oliva é esmagar a azeitona entre duas prensas de pedra com movimentos opostos, até que o fruto fique reduzido a uma pasta. Esta pasta é espalhada sobre finas peneiras, que são colocadas umas sobre as outras e pressionadas com pesos.
Há outros métodos mais modernos, mas os azeites "prensados a frio" são feitos desta forma. O calor permite que se extraia maior quantidade de óleo, mas de pior qualidade.

Também são considerados outros fatores como a cor, o sabor e o aroma, mas a qualidade está extreitamente ligada à percentagem de acidez. O azeite extra-virgem tem apenas 1 grau de acidez e é o mais fino. O azeite virgem deve ter no máximo, 3 graus de acidez.

A sua História

A oliveira e o azeite de seu fruto têm sido parte da cultura mediterrânea desde suas origens. Além de ser utilizado na alimentação, servia como remédio e produto de beleza, entre outros. Há cinco mil anos, as mulheres egípcias descobriram os efeitos benéficos do azeite de oliva para sua pele e passaram a utilizá-lo como emoliente. A partir de então, criaram o primeiro sabonete, misturando azeite, essências e cinzas. Os gregos o utilizavam para massagens, confiando em seu poder para aumentar a beleza e a virilidade.
Foi comprovado que o azeite de oliva é uma forma natural de manter a beleza da pele, das unhas e dos cabelos.
Ele possui vitaminas A, D, K e E, e é um poderoso antioxidante, o que ajuda a retardar o envelhecimento da pele. A oliveira é uma árvore capaz de regenerar e autoproteger.
Por todas as suas propriedades, ele se revelou como uma estrela da cosmética. Suas aplicações na área da estética e beleza são inumeráveis: funciona como anti-rugas, hidratante e suavizante para peles secas; é purificador, calmante, e serve para amolecer as impurezas da pele e tornar mais fácil a remoção; melhora a elasticidade da pele, dá brilho aos cabelos e é perfeito para banhos relaxantes e massagens.

As suas Propriedades

As gorduras representam 33% do total da energia ingerida diariamente. Para uma alimentação saudável, seria essencial substituir o consumo de gorduras saturadas por monoinsaturadas, como é o caso do azeite de oliva, chave para uma saúde melhor.

As últimas novidades nutricionais coincidem em assinalar que o uso de azeite de oliva reduz o colesterol e ajuda a prevenir as doenças cardiovasculares. Isso devido ao seu alto teor de ácidos monoinsaturados. Além disso, numerosos pesquisadores, médicos e nutricionistas afirmam que o azeite de oliva é uma fonte rica em vitamina E, que protege contra o câncer e as doenças do coração. Por ser extraído da fruta e especialmente rico em antioxidantes, retarda o processo de envelhecimento celular.

Alho  - Nome Científico: Allium Sativum

O alho é um parente das cebolas e alho-porós, tem o poder de reduzir o colesterol e a pressão arterial, tem ação germicida combatendo infecções além de possuir antioxidantes e flavonóides que combatem o envelhecimento e muitas outras propriedades. Acredita-se que a maioria dessas propriedades se devem à riqueza de substâncias sulfurosas na sua composição. A ação mais saudável do alho é sua capacidade de melhorar as condições cardíacas, suas ações germicidas e anticancerígenas. Enfim, o alho é um dos alimentos acessíveis mais saudáveis.

Não é de hoje que o alho recebe o atributo de alimento bom para saúde. No célebre papiro de Ebbers, de 2.550 a.C., havia mais de 20 receitas à base de alho indicadas para combater infecções, dor de cabeça e faringites. Outros documentos datados de 3.000 anos A.C., elaborados pelos Babilônios, Chineses e Romanos também mostraram o uso do alho como medicamento. Mas, foi Hipócrates, pai da medicina, o primeiro a demonstrar com detalhes, o uso do alho como diurético e laxante. Plínio e Galeno, médicos romanos, também utilizaram o alho para o tratamento de infecções intestinais, problemas digestivos, pressão alta, senilidade e impotência. Nas anotações de Marco Polo há várias mostrando o uso do alho pelos chineses para desintoxicação.

As suas Propriedades 

É lógico que a evidência clínica do valor efetivo do alho, tanto na prevenção quanto no tratamento de inúmeras afecções não se justifica apenas pelo seu conteúdo de minerais e vitaminas. Várias pesquisas têm atribuído seus efeitos terapêuticos pela presença de algumas substâncias. As mais importantes delas, quando o assunto é coração, são:

Para completar o alho ainda tem alicina, a alina, ambas com efeitos antibactericida e antiinflamatório.

A gordura das artérias, aquela que deve ser eliminada quando em excesso, é chamada de Colesterol e o alho tem as seguintes propriedades:

Também se usa para combater problemas artríticos, inclusive em forma de tintura, ou em outras formas: para uso externo, e ainda em frieiras e verrugas. Em alguns lugares é usado, igualmente, como preventivo do cancro.

O Alho contém fructosanos (cadeias de moléculas de frutose) em abundância que lhe conferem una clara ação diurética. O seu óleo essencial contém dissulfuro de alilo proveniente da decomposição da alicina por ação duma enzima, a alizinase. Contém vitamina A, B1, B2, C, uma amina do ácido nicotínico, colina, hormonas, alicetoína I e II, ácido sulfociánico, iodo e vestígios de urânio. Esta complexa composição faz com que o alho tenha uma ação muito diversificada no organismo.

Alho com Azeite de Oliva Extra Virgem

Resultados conhecidos

Como preparar

Como usar

Relato de Alberto Barbosa Pinto Dias

Este relato é verídico e confirmado pelo nosso site.

 

"Prezados Amigos,

Em abril de 2005 fui acometido por uma cegueira total no olho esquerdo, causada por derrame de sangue. Verificada a pressão sanguínea estava a 19/ 11. 

 Um cardiologista do Einstein (Doutor Roderick) recomendou na emergência a tomar diurético e Adalat em dose dupla para fazer baixar a pressão de imediato. O oculista disse que não havia nada a fazer senão esperar, possivelmente por 6 meses, para depois verificar o que fazer. Consultado o cardiologista do Sabin (Climed-Atibaia), foi feito o eletrocardiograma, exames de sangue e chapa do tórax. 

Verificados os resultados, alem da pressão alta, havia para serem considerados: a artéria aorta sinuosa as taxas elevadas de colesterol, triglicérides e ácido úrico. Passei a tomar Betalor (vasodilatador) e Hidrion (diurético).  Com o olho direito ainda bom, li um artigo no jornal divulgado na Internet, Ambiente Brasil, um artigo a respeito das propriedades antiinflamatórias do azeite de oliveira. Lendo a respeito de azeite, associei com a idéia de alho. Procurei dados a respeito das propriedades do alho e verifiquei a existência da Alicina que, favorece a circulação impedindo trombos e a existência de outras substâncias, algumas contendo enxofre na molécula e mais outras que apresentariam ação antivirótica e antibacteriana alem de agir sobre determinados tipos de câncer. 

 Como não há dados a respeito de dosagem, resolvi experimentar e verificar qual a dosagem por dentes de alho cru que mostraria algum efeito fisiológico evidente. Ultrapassando a dose de um dente de alho cru por 20 quilos de peso corpóreo, verifiquei uma sensação de afogueamento e calor evidenciando vaso dilatação juntamente com uma sensação estranha. Reduzida a dose para um dente de alho para cada 20 quilos de peso, torna-se bem suportável, principalmente se o alho, sendo esmagado e cru, for deixado no azeite extravirgem de primeira espremedura a frio (uma a duas colheres de sopa) por um prazo mínimo de 30 minutos. Pode-se colocar a mistura no alimento habitual, sendo que passei a apreciar, vertendo uns caldos quentes, ferventes, mas não fervendo, sobre a mistura a ser tomada como sopa com pão integral. O tratamento é feito à noite, pois sobrevém uma sonolência e depois sono profundo e reparador de noite inteira. Esse tratamento foi feito direto por 4 meses, pois alem de desaparecerem as dores de articulações, eu esperava que se limpassem as artérias devido a presença dos ácidos graxos insaturados do azeite. Depois descanso uma semana ou menos cada mês.

Resultados: O alívio de dores articulares foi progressivo, sendo evidente em 30 dias. O sangue pisado foi clareando e em dois meses já enxergava sem nitidez, mas em três meses havia nitidez e em quatro meses transparência cristalina. Animado com os resultados continuei firme. Completados dez meses, voltei ao cardiologista do Sabin. Novamente os exames e : Radiografia de Tórax- Tudo limpo e normal. Aorta normal. Exame de sangue: ácido úrico baixou, colesterol baixou, triglicérides baixou. Eletrocardiógrafo: tudo normal com ligeiro bloqueio no ramo direito do Feixe de Hiss que me acompanha desde moço. Continuo com Betalor e Hidrion. Note-se: As berrugas caíram. Não tenho gripes nem resfriados nem infecções desde que iniciei esse hábito alimentar.
Bom dia para vocês.

Fraternalmente, Alberto Barbosa Pinto Dias.”

 

Alberto Barbosa Pinto Dias
Professor Secundário Efetivo por Concurso (Ciências e Biologia). 
Professor Catedrático de Fisiologia Humana na Fac. Estadual de São José do Rio Preto, de 1956 a 1961 (UNESP). 
Professor responsável por Fisiologia Humana e Geral na Faculdade Estadual de Rio Claro, de 1961 a 1963 (UNESP).
Professor por Concurso no Colégio de Aplicação da USP de 1963 a 1966. 
Professor de Biologia e Bioquímica do Colégio Rio Branco, SP, de 1964 a 1978
Técnico em Aplicação de Relaxamentos, desde 1975.
Diretor do Silva Mind Control Ind. Inc., no Brasil de 1982 até 1994.
Atuando em Atibaia/SP desde 1998 com cursos de Desenvolvimento Mental e Psíquico.
Atualmente, como colaborador do Jornal Alternativas.
Fone: (11) 4415-1613
contato: E-mail: diasmind@uol.com.br


Leia também no Jornal Florais: